Deprecated: Elementor\DB::is_built_with_elementor está obsoleto desde a versão 3.2.0! Use Plugin::$instance->documents->get( $post_id )->is_built_with_elementor() em seu lugar. in /nas/content/live/fisiopop/wp-includes/functions.php on line 5323
Dor no ombro: Causas, tratamentos e prevenção - Fisiopop

Dor no ombro: Causas, tratamentos e prevenção

Com a vida agitada que todos levam, muitas dores podem surgir e a dor no ombro é bastante comum.

Agendar uma consulta

Mas, quais são as causas e como essa dor pode ser tratada e curada? 

Existem causas variadas para dor no ombro, mas geralmente o que leva um indivíduo a sentir dor nessa região é a inflamação dos tendões musculares.

Portanto, a tendinite é uma das principais causas, porém, não é a única. 

Causas da dor no ombro 

homem com dor no ombro segurando um deles
A dor no ombro pode ter inúmeras causas.

Conforme já dissemos, a tendinite, a inflamação de tendões, é uma das principais causas de dor no ombro.

Agendar uma consulta

Mas, outras causas também podem ocorrer: 

  • Bursite; 
  • Artrite/artrose; 
  • Capsulite adesiva (ou ombro congelado); 
  • Luxação do ombro; 
  • Fraturas ósseas.

Tendinite

O ombro é uma complexa articulação, em que vários músculos são inseridos por tendões.

Isso, de fato, permite que o ombro participe de diversos movimentos, como rotação e elevação dos braços, por exemplo. 

A tendinite é a causa mais comum de dor no ombro. Ela acontece por movimentos repetitivos do braço, ou por profissão, ou em atletas como de vôlei e natação, por exemplo. 

Além disso, a tendinite em sua fase crônica, pode apresentar deposição de cálcio nos tendões (denominada tendinite calcária), mais comum em pacientes com diabetes e mulheres acima de 40 anos. 

Bursite 

A bursa é uma estrutura de acolchoamento das articulações, ela protege os tendões contra o atrito das estruturas ósseas.

Em alguns casos, essas estruturas se inflamam, dando origem ao processo denominado bursite. 

Pode ocorrer em indivíduos com mais idade, como também em indivíduos que praticam movimentos repetitivos. 

Artrite/artrose 

Doenças degenerativas que afetam outras articulações e não somente os ombros. São mais comuns em pacientes mais velhos. 

Nesses casos, há degeneração da cartilagem, o que faz com que as superfícies ósseas não tenham proteção contra os impactos, gerando dor durante a movimentação e processos inflamatórios recorrentes. 

Capsulite adesiva 

Também chamada ombro congelado é uma complicação de uma tendinite, por exemplo, mas é um problema multifatorial, em que se impossibilita a movimentação do braço, pela inflamação da cápsula da articulação. 

É uma condição bastante dolorosa e limitante.

Por isso, é importante fazer o tratamento adequado, para uma tendinite, para que o paciente não desenvolva capsulite adesiva. 

Luxação do ombro 

Ocorre por um evento traumático, causando deslocamento da cabeça do úmero.

É importante que nesses casos o paciente procure serviço ortopédico médico de urgência para ser feita, quanto antes, a redução, recolocando o úmero no lugar. 

Fraturas ósseas 

Também ocorrem devido a traumas no ombro ou braço. Necessitam de avaliação médica de urgência, para repor a nutrição quanto antes às estruturas do ombro. 

E, em alguns casos, cirurgia para reconstrução dos tendões é necessária, bem como a recolocação das estruturas ósseas em seus lugares. 

Sintomas de dor no ombro

senhora idosa com dor no ombro
A dor no ombro é a principal causa e pode se espalhar por todo o braço e pescoço.

Dependendo da causa, a dor no ombro pode-se espalhar pelo braço. Porém, em geral, a dor é mais limitada e dificulta o movimento do braço. 

Outros sintomas como formigamento e perda de força muscular no braço e mãos não são tão comuns, mas podem também estar presentes em alguns casos. 

Dessa forma, o mais comum é o paciente com dificuldades de conseguir elevar o braço sobre a cabeça, por exemplo.

Ou então, não consegue colocar o braço, dobrado, atrás das costas. 

Assim, a limitação do movimento, associada à dor, dificulta a qualidade de vida do paciente, que acaba buscando diagnóstico médico quando a dor torna-se insuportável. 

Casos mais severos, como os de luxação e fraturas ósseas, apresentam deslocamento visível da articulação, demandando atendimento médico de urgência. 

Fatores de risco

mulher de costas com dor no ombro
Existem diversos fatores de risco para desenvolver dor no ombro.

Alguns fatores aumentam o risco de desenvolver a dor no ombro. Dentre esses fatores, os principais são: 

  • Má postura; 
  • Trabalhos repetitivos; 
  • Diabetes mellitus; 
  • Tabagismo; 
  • Envelhecimento; 
  • Sedentarismo.

Diagnóstico para dor no ombro

senhor de costas tocando um dos ombros com dor
Um ortopedista pode fazer o diagnóstico correto da dor no ombro.

Para o diagnóstico da dor no ombro, a consulta com um ortopedista é essencial.

Assim, o médico poderá avaliar como é a dor sentida pelo paciente e também, a limitação de movimento. 

Além disso, exames de imagem são bastante úteis para confirmar ou descartar hipóteses diagnósticas.

Em caso de fraturas, por exemplo, esses exames de imagem são essenciais. 

Dentre os principais exames de imagem, a radiografia é o mais utilizado, em uma primeira avaliação. 

Caso o tratamento não apresente resultados positivos ou a dor permanecer, outros exames de imagem podem ser solicitados, tais como ressonância magnética ou tomografia computadorizada, por exemplo. 

Tratamento de dor no ombro

senhora esticando elástico a sua frente com braços esticados
Há várias formas de se tratar a dor no ombro.

Quando um paciente apresenta dor no ombro, a colocação de gelo pode ajudar a diminuir a inflamação local e pode ser uma das primeiras ações.

Portanto, se você começar a sentir uma dor na região do ombro, coloque gelo três vezes ao dia, durante no máximo 3 dias. 

Caso a dor não regrida após 3 dias, a procura por um médico ortopedista para um diagnóstico mais preciso é muito importante. 

Dessa forma, o primeiro passo do tratamento é melhorar a condição de dor do paciente.

Por isso, analgésicos e anti-inflamatórios são os medicamentos de escolha.

É importante alertar que a automedicação não é recomendada e o paciente só deve tomar remédios prescritos para ele (ela). 

Desde a primeira fase do tratamento, junto com a intervenção do médico, a fisioterapia é essencial para devolver a amplitude de movimento, controlar a dor inflamação. 

Com o tratamento fisioterapêutico, outras manobras também podem ser utilizadas, como a aplicação de eletroneuroestimulação transcutânea (TENS), a qual minimiza a dor e a inflamação local, auxiliando na reparação. 

De fato, a mobilização articular, realizada pelo fisioterapeuta, bem como os exercícios de movimentação e fortalecimento são essenciais para que um quadro de tendinite, por exemplo, não evolua para capsulite adesiva

A cirurgia é uma das últimas opções para tratamento de lesões no ombro e só deve ser indicada por um cirurgião ortopédico, quando o tratamento conservador não apresentou resultados positivos. 

Mesmo assim, a fisioterapia pós-cirúrgica é necessária. 

Como prevenir a dor no ombro

A prevenção da dor no ombro passa, no caso de atletas amadores e profissionais, fazer exercícios que possam fortalecer a musculatura da articulação. 

Além disso, o repouso é sempre necessário para o ombro, quando movimentos repetitivos são executados. 

Mas, deixar o braço parado, sem exercícios, apenas causa enfraquecimento da musculatura, o que, no futuro, piorará as crises de dor. 

Assim, para prevenção de dores no ombro, é sempre importante buscar diagnóstico quando a dor surgir, não deixando o quadro piorar.

E sempre apostar na fisioterapia e no fortalecimento dos músculos que auxiliam na estabilização do ombro. 

Agendar uma consulta