Deprecated: Elementor\DB::is_built_with_elementor está obsoleto desde a versão 3.2.0! Use Plugin::$instance->documents->get( $post_id )->is_built_with_elementor() em seu lugar. in /nas/content/live/fisiopop/wp-includes/functions.php on line 5323
Fraturas no ombro: Sintomas e o que fazer? - Fisiopop

Fraturas no ombro: Sintomas e o que fazer?

O ombro é uma articulação bastante complexa, com muita mobilidade e que envolve 3 ossos: úmero, escápula e clavícula. Por isso, fraturas no ombro podem ser bastante complexas. 

Agendar uma consulta

Existem diferentes tipos de fraturas no ombro, conforme sua causa, idade do paciente e como é a separação do osso: com desvio ou sem, com angulação ou sem, por exemplo. 

Assim, quanto maior o desvio, maior número de fragmentos e maior a idade do paciente, mais complexa é o tipo de fratura, por conseguinte, mais complexa será sua reabilitação. 

Como identificar fraturas no ombro? 

paciente em consultório examinando fraturas no ombro
As fraturas no ombro são diagnosticadas pelo ortopedista.

Quando um paciente tem uma fratura no ombro, geralmente, apresenta dificuldade de conseguir movimentar o braço.

Elevar o braço por cima da cabeça torna-se impossível, devido à dor causada pela fratura. 

Agendar uma consulta

Em muitos casos, é possível observar edema no local e dependendo de como é a fratura e o trauma que a ocasionou, as estruturas do ombro aparentam estarem “soltas”. 

Outros sintomas, como vermelhidão no local e dormência na parte superior do braço, também podem estar presentes, conforme o tipo de fratura. 

Causas de fraturas no ombro

homem examinando fraturas no ombro com especialista
Os traumas são a principal causa de fraturas no ombro.

A principal causa de fraturas no ombro é o trauma na região. No caso de pacientes mais jovens, geralmente, o trauma tem grande impacto.

Ou seja, é comum esse tipo de fratura em acidentes automobilísticos ou com motocicletas, por exemplo. 

De fato, motociclistas são um grupo com alto risco a fraturas envolvendo membros inferiores, membros superiores e também no ombro. 

Já em indivíduos mais idosos, o trauma resultante em fratura no ombro tem menor impacto, podendo, em alguns casos, resultar de uma simples queda sobre o braço. 

Isso porque indivíduos com mais idade tendem a ter osteoporose, o que aumenta os riscos de fraturas nos ossos. 

Diagnóstico 

Para o diagnóstico de fraturas no ombro, é necessária a avaliação de um médico ortopedista.

A princípio, o médico colherá informações sobre o evento causador da dor do paciente (se foi um trauma mais violento ou uma queda, por exemplo). 

Além disso, o médico também verificará a limitação de movimento e solicitará exames de imagem.

De fato, exames de imagem são essenciais para a confirmação da fratura no ombro e também para classificar o tipo de fratura em relação ao desvio e número de fragmentos, por exemplo. 

O exame de radiografia costuma ser a primeira escolha em caso de fraturas, mas a tomografia computadorizada e a ressonância magnética podem ser solicitadas, para uma avaliação tridimensional do caso, sobretudo quando há indicação cirúrgica. 

A fratura no ombro pode envolver três ossos, mais comum na porção terminal do úmero, depois na clavícula e raramente no omoplata. 

Quando a fratura envolve o úmero, é importante verificar como é a fratura, no sentido de haver desvio e a angulação em que os fragmentos ósseos se encontram. 

Tratamento de fraturas no ombro

paciente comsultório examinando fratura sno ombro
O tratamento para fraturas no ombro depende da lesão.

O tratamento dependerá do tipo de fratura, número de fragmentos, além da idade do paciente. 

A princípio, fraturas pequenas e que não apresentam múltiplos fragmentos podem ser tratadas de maneira conservadora, quando não há acentuado desvio. 

Consideram-se desvios abaixo de 0,5 cm ideais para tratamentos conservadores.

O limite, no caso, é considerado um desvio de 1 cm. Acima disso, procedimentos cirúrgicos são indicados. 

Quando o tratamento conservador é indicado, o braço deve ser imobilizado, com o uso de uma tipoia, permitindo a movimentação da mão e punho. Movimentos com o cotovelo devem ser orientados. 

A imobilização do braço deve permanecer por vários dias, acompanhada por radiografias seriadas, para verificar o processo de consolidação óssea. 

Mas, quando há múltiplos fragmentos e desvios ósseos consideráveis, o procedimento cirúrgico é indicado. 

Cirurgia para fraturas no ombro 

A indicação de cirurgia para fratura do ombro é feita pelo cirurgião ortopédico, após análise criteriosa do paciente e seus exames de imagem. 

Os fragmentos são unidos e os desvios corrigidos por parafusos e placas, de material biocompatível, como aço cirúrgico e titânio.

De fato, esses materiais não causam alergia nem promovem uma reação inflamatória no organismo. 

Assim, com o passar do tempo e o braço imobilizado, esses materiais permitem a consolidação do osso em uma posição mais favorável. 

No caso de perda óssea significativa, a utilização de uma prótese pode ser recomendada.

Devido à evolução dos materiais ortopédicos e das técnicas cirúrgicas, a cirurgia para resolução de fraturas no ombro apresenta geralmente resultados bastante positivos. 

Obviamente, quanto maior o número de fragmentos e maior o desvio desses fragmentos, mais complexa será a cirurgia. 

Após a cirurgia, o braço ficará imobilizado por algum tempo e o paciente deve iniciar as sessões de fisioterapia.

O objetivo da fisioterapia em casos de fraturas no ombro é permitir o retorno gradual do ombro à movimentação, garantindo que a mobilidade da articulação seja preservada e fortalecimento muscular, com o objetivo de reabilitar e prevenir futuras alterações decorrentes das perdas funcionais.

É importante citar que o paciente mais idoso, que sofre de osteoporose, deverá ter sua condição avaliada antes da indicação de cirurgia. 

Quanto tempo leva para curar uma fratura no ombro?

homem segurando o ombro mostrando desenho de fraturas no mbro
O tempo de cura vai depender od tipo de lesão causada nas fraturas no ombro.

O tempo de recuperação de uma fratura no ombro depende muito do tipo de fratura.

Afinal, quanto mais complexa a fratura, maior será seu tempo de recuperação. 

Mas, em geral, costuma-se estabelecer o período de 4 a 6 semanas para consolidação de fraturas no ombro. 

Assim, nesse período, a fisioterapia é importante para que o indivíduo consiga iniciar a movimentação e ter a amplitude de movimento restabelecida, quando a fratura estiver consolidada. 

Complicações de fraturas no ombro 

Existem algumas complicações que podem ocorrer em função de fraturas no ombro. 

A primeira delas é a osteonecrose, ou seja, quando o osso morre devido à falta de nutrição.

Isso pode ocorrer em acidentes, em que o paciente não recebe atendimento imediato e fica um longo período com vasos rompidos, em função do trauma sofrido. 

Outra complicação, em caso de fraturas no ombro não tratadas, é a consolidação do osso em uma posição inadequada.

Com isso, o paciente terá enormes dificuldades em executar movimentos simples, devido à alteração na biomecânica do movimento. 

Como prevenir fraturas no ombro? 

A prevenção de acidentes e traumas com veículos automotores é uma boa forma de se evitar fraturas no ombro. 

Para pacientes idosos, é importante o diagnóstico precoce da osteoporose, para evitar as sequelas da doença.

Além disso, é importante que idosos usem sapatos antiderrapantes, tenham apoio firme em escadas, rampas e banheiros, minimizando os riscos de queda, existe também a fisioterapia preventiva para este público, realizando exercícios visando a prevenção de acidentes. 

 

Agendar uma consulta